19 de jun de 2010

Sobre a arte de calar

"Calou.


Com a mais forte vontade de gritar ao mundo das coisas boas que sente, e
com a maior vontade de explicar
do que se alegra ou do que se incomoda,
não viu solução,
ou aliás, viu:
- calou-se.

Guardou pra si
qualquer pensamento ou algo que pudesse simplesmente querer expor dali por diante

Viu que quando o que é dito por um
não tem a menor coerência para o outro,
o "falar" perde total sentido..."

Um comentário:

  1. gostei dos eu jeito de escrever.
    me chamou atenção esse texto porque meu ultimo post foi sobre calar, mas de um ponto de vista diferente, de posições sentimentais diferentes.
    gostei de comparar os dois...

    ResponderExcluir