30 de ago de 2010

Enquanto ele dorme

Eu observo esse durmir...
E fico aqui, olhando e só...
Fiz carinho, abracei, cheirei os cabelos...
Ele aqui, pertinho, durmindo
como uma criança após um dia inteiro de brincadeiras.
Respira fundo...
E nada consegue me explicar essa paz
Esse conforto que cuidar dele me tráz.
É absurdo de tão incrivel.
Enquanto ele dorme
já me coloquei deitada ao lado
Agora sentei em frente pra poder observar cada detalhe.
E nesse durmir fico reparando em cada movimento,
em cada respirar mais forte,
em cada suspiro...
Me peguei agora lembrando da primeira vez que o vi durmindo.
É o mesmo ar sereno,
o mesmo sono pesado, e o mesmo sorriso que escapa dos meus lábios perante esse durmir..
Chega até arrepiar... mexe com todos os sentido ao mesmo tempo...
Chega a encher de lágrimas esses meus olhos enquanto escrevo, e observo...
Os cabelos no meu travesseiro...
Espero que deixe algum sinal de perfume pra que quando eu me deite respire um pouco dele.
Este homem
deitado de lado,
de pés descalços,
cabelos bagunçados,
braços cruzados cobrindo parte do rosto...
É este homem que me abala até quando dorme
Que me tira o ar só por respirar perto de mim
Enquanto este homem dorme
deixa essa mulher sorrindo a toa,
deixa essa minha mente ir trabalhando todos nossos planos...
de vê-lo durmindo todas as noites
até vê-lo acordando todas as manhãs...
Com os olhinhos apertados por causa da claridade,
com aquele sorriso lindo me dando bom dia...
numa cama pra chamar de nossa...
Enquanto ele dorme
já sinto o aperto da hora dele ter que ir embora...
Por mais que o amanhã logo chegue, cada minuto longe mata quando tudo que se quer é estar junto.
Todo o meu jeito correto demais e todos os problemas enfrentados recentemente
cedem espaço só pra te observar em paz,
e assumir:
que sem o privilégio de te ver durmir, acordar e respirar;
que sem essa certeza de que tudo o que eu preciso está deitado diante dos meus olhos, sem nada disso, não teria tanto sentido pensar no amanhã.
Falo dessa certeza de que é com este homem que eu quero dividir a cama, o cobertor, o sofá, o creme dental, a frigideira de esquentar pão com manteiga, as blusas de moleton, meias, tênis e tudo pelo resto da vida!
Se é fácil ter tanta certeza assim?
Eu diria que é quase tão fácil como ir deixando as palavras preencherem linha por linha desse meu simples caderno
enquanto ele dorme...

Nenhum comentário:

Postar um comentário