30 de mai de 2011

Tanta coisa

Ela não sabe tanta coisa
Ela não entende de tanto assunto
Ela se faz de forte
e chora
Ela se faz de frágil
e ri
Ela se ergue e cai
Se pinta
e se borda
Se arruma
e transborda
Cores e risos
Lágrimas em preto e branco

Ela não se desfaz de tanta coisa
Ela não entende tanta coisa
Ela não admite riscos graves
E aceita cada desculpa...
Ahh essa menina,
Ela morre de medo de tanta coisa
Corre pro abismo por tantas vezes
Encara com coragem tantas outras

Ela foge de sim mesma
E abandona os ideiais
E recupera cada instante
Dentro daquele beijo que a deslumbra
Ela finge não entender tanta coisa
Talvez pra sorrir mais
Talvez pra sofrer menos
Talvez pra acreditar em alguma coisa que não cre

Ela sabe de tanta coisa
Que se arrepia só de pensar
Que te arrepia só de imaginar
Que te afoga e te afaga num mesmo abraço
Essa moça aí ó,
Cuida bem dela
Menina certa, menina direita
É a mais errada e mais torta possível!

Ela sabe que o mundo esconde tantas coisas
Ela busca o que ela quer trazer
Afasta o que quer afastar
Demora pra entender e critica
as palavras que os atos devoram
Olhares que desmentem e encaram
Fixamente
O que você chama de ponto mais fraco

Um comentário:

  1. Nossa! Adorei teu blog, tu escreves muito, muito bem mesmo.
    Qualquer hora passe pelo meu: http://engenheiropoeta.tumblr.com

    ResponderExcluir