29 de nov de 2011

Que fique claro

Aqui sou dona da minha razão
Dona do meu espaço
Herdeira das consequencias dos meus passos...
Dona do meu sorriso
Dos meus choros,desabafos.
Sou voluntária da minha boa vontade
Escrava das vontades nem tão boas assim
Refém do próprio eu encolhido
Paradeiro de toda frase sem fim
Eira de beira simples e solta
De traços finos, europeus
Unhas com cores
E o problema, eu repito: - é meu!
Feliz e inconstante
Terrível e perfeita
Aproxime-se se souber lidar
Caso contrário, desapareça logo e não me incomode
Essas suas frases feitas
Tem sentido pra você e pra talvez quem as escute
Nem ouse perder teu tempo gastando saliva explicando-as para mim
Eu sei que eu sou boa demais
E a tal da dona das melhores noites de outrora
Ganhadora dos prêmios que eu conquistei
De receios e atrevimentos
Se for pra ser, seja logo
Se não for, esquece
Dona de mim, sou eu.
E o que não me importa, não me apetece

Um comentário:

  1. que fique claro, me apaixonei rsrs
    muito bao esse aqui kiridaça
    deu pra perceber o cuidado com as palavras
    escolhidas e colokadas
    cada uma nu seu canto..xowwww

    que fique claro, está madura querida cronista...ahhhh nao comentei as cronicas femininas porq nao sou muito conhecedor do tema...mas adorei tbm
    axezao

    ResponderExcluir