24 de jul de 2012

Ato responsável

De quem é a culpa
Pela inconstância
Pelo individualismo repartido
E pela sanidade bloqueada
Dessa pessoa aí hoje em dia?
Essa pessoa aí
Foi a mesma que veio sem culpa
Dos erros dos grandes
Infantis e tolos
Que não conseguiram honrar com a vida!
Estes, sentiram-se Deus
Ou qualquer outra força geradora de tudo e todos
Esqueceram da fraqueza
E da inocência que uma criança pode ter
Hoje, mulher feita, não venham culpar a mim!
Não venham atirar em mim
As obrigações que deixaram de cumprir
Os caminhos que escolheram seguir
E cada palavra nunca dita

Eu só quero
Ser diferente de vocês.



Nenhum comentário:

Postar um comentário