22 de fev de 2011

Um assunto particular

Perder-se seria injusto. Tentar evitar, inevitável. Mutações transitórias transformam-me no que eu nem conheço
Essa força? Abalada Esse gosto? Amargo.
Essa vontade?Esquecida. Essa menina? Confusa
Mais da mesma em si só
Sozinha. Tranquila. Em seu quarto
Lê livros, fala de idéias. Gosta de música. Sente medos, ahh os infindáveis medos
Pinta a cara, pinta as unhas,
Pinta a saudade como uma flor amarela
Molda num quadro esculpido à lágrimas
Sem contar do que nem comenta
Trancada. Guardada. Escondida. De si mesma. De ninguém
Como quem levanta um muro em forma de proteção
Das palavras faz histórias e fantasia os personagens
Prosas escapam e fé transborda

É o que guia sua cabeça
e faz sua sombra frente ao Sol

Nenhum comentário:

Postar um comentário